Posted by: Coelho Sinistro | 26/08/2012

Dicas de trânsito do Coelho Sinistro

Você se considera um motorista regular, bom ou ótimo? Ta em dúvida? Então confere aí…

Se você tem carteira de motorista, conhece as leis básicas do trânsito, sabe dar partida no veículo, acelerar, mudar as marchas e frear, você é um motorista regular.

Se você, quando está dirigindo, consegue ver sem ficar olhando (é isso mesmo ver sem ficar olhando) todo tipo de sinalização; de solo, vertical, horizontal, mudança de semáforo, pedestre distraído, leitura de painel, motociclistas no corredor, pedinte de farol, vendedor de badulaque, enfim: se você consegue fazer tudo isso ao mesmo tempo, observar tudo que acontece à sua volta sem desviar a atenção do tráfego em movimento e sem se estressar, então você é um bom motorista. Fácil não é?

E para ser um ótimo motorista? Bem, para ser um ótimo motorista é preciso algo mais. É fundamental você conhecer alguns tipos de motoristas para que, numa rápida análise dos veículos que o cercam, você possa concluir se está correndo risco de acidente ou não.

Como fazer isso?  Simples: Percebendo carros executando manobras perigosas ou observando os gestos e a aparência da “figura” que está ao volante.

Veja a seguir alguns exemplos de péssimos motoristas e os riscos que eles representam:

Velho de Chapéu – Não representa muito risco, ele vai sempre devagar, muda de faixa sem sinalizar e sem olhar. Procure não ficar ao seu lado e nem pressioná-lo pedindo passagem porque ele não sabe o que significa 2 toques de buzina nem alerta de farol.

Nariz colado no pára-brisa – Parece que ele quer ver o pára-choque do próprio carro. Mas não é isso. É que a visão dele é em linha reta, sem ângulo de abertura. O risco que ele oferece é baixo mas evite ficar ao seu lado, já que pra ele só  existe “frente”. Ultrapasse-o com cuidado pra não assustá-lo e vá embora.

Bonézinho – Altíssimo risco. Tragédia à vista. Distancie-se dele o máximo que puder. Ele é imprevisível. Acelera ou freia de repente, muda repentinamente de faixa, força a passagem, costura, cola na sua traseira. E se o bonezinho  dele estiver com o bico para traz, então diminua ou encoste o carro e espere até que ele desapareça. Ele se considera um az no volante. Pra nós ele é apenas um asno.

Cacoete – Esse consegue te tirar do sério, por mais calmo que você seja. Ele parece ter um cacoete na perna direita. Essa perna faz um movimento repetitivo. Ela sai do acelerador sobe e desce no pedal do freio; sai do pedal do freio sobe e desce no acelerador e assim vai sucessivamente. Ele não tem controle sobre a perna. Conseqüentemente a luz de freio dele acende e apaga, acende e apaga, e você, se estiver atrás, vai fazendo a mesma coisa. Evite ficar atrás desse cara senão você vai acabar ficando puto e com o mesmo cacoete dele.

Braço pendurado – Não oferece alto risco de acidente, a não ser para os motoqueiros, mas o problema é que você nunca sabe se aquela maldita mãozinha pendurada na janela vai sinalizar ou não uma mudança de direção ou de faixa. Naquele constante para e anda do transito ele é o último a se mexer, anda sempre devagar e por isso é o maior responsável pelos congestionamentos.

Até hoje, muita gente não entende que motivo leva um idiota desse a dirigir com o braço pendurado fora do veículo. Pois bem, fim do mistério. Eis a resposta:

Esses condutores adeptos do “braço pendurado” dividem-se em três categorias:

  1. O que solta o braço pela janela para que fique bem claro que ele é capaz de dirigir com uma só mão. Observe que o braço e a mão ficam inertes, completamente relaxados, como se nem dele fossem.
  2. Aquele que passa a mão espalmada e com os dedos abertos sobre a cabeça, recolhe caspa, piolho, seborréia ou sabe-se lá o que mais, solta o braço pela janela e fica esfregando os dedos na palma da mão espalhando ao vento as bactérias e parasitas recolhidas.
  3. Aquele que cutuca o nariz e pesca uma pitoca, ou coça o cu sujo e suado e retira resíduo merdal. Depois pendura o braço e fica esfregando o polegar no indicador até que aquela meleca se transforme numa bolinha, e só então ele se livra dela. Aliás, se você for um bom observador vai até distinguir se o “produto” foi retirado do nariz ou do rabo. Se foi do rabo ele recolhe a mão assim que se livra da bolinha e dá um cheiro prolongado no dedo. Nesse momento a felicidade dele é tamanha que ele até esquece que está dirigindo.  Evite ficar atrás desse estereótipo e muito menos do lado, ou você poderá ser atingido por dejetos orgânicos.

É isso aí. Se você já conhecia essas técnicas, parabéns, você já é um ÓTIMO motorista. Mas se você ainda não conhecia comece a observá-las e colocá-las em prática e logo você também será um.

Seguindo essas “regrinhas” você nunca causará acidentes e dificilmente estará envolvido em um.

Com certeza também ficará surpreso ao perceber por quantas vezes você se livrou de ser mais uma vítima desses debilitados habilitados, apenas por ter seguido as dicas do…

Coelho Sinistro


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: