Posted by: Coelho Sinistro | 05/08/2011

Anatomia Humana – O Confronto dos Órgãos

ANATOMIA HUMANA – O CONFRONTO DOS ÓRGÃOS

      Com certeza você que está iniciando essa leitura tem opinião formada sobre as funções dos principais órgãos e membros do seu corpo e deve cuidar muito bem deles, até porque a sua saúde depende da saúde deles. Mas que tal você conhecer a opinião de alguns deles a respeito da forma como você os tem tratado?.  Esta é a sua chance.

Tens coragem?. Então vá em frente.

A rixa entre o coração e o cérebro para decidir quem é o melhor, quem  manda no corpo, é muito antiga. O coração sempre foi considerado o órgão responsável pela vida. Porém há mais ou menos 20 anos atrás a ciência descobriu que o órgão mais importante do corpo humano é o cérebro. Com essa descoberta o coração foi relegado a segundo plano e a bronca entre os dois aumentou mais ainda.

Um dia, para por um ponto final nessa questão, os dois chegaram a seguinte conclusão: Convocar todas as partes ativas e com funções importante, membros, órgãos e etc., para uma reunião. Ouvir a opinião de algumas delas e então, através do voto, elas decidirão quem será o comandante. O que elas decidirem será respeitado.

Acordo firmado, a inusitada reunião foi agendada.

   No dia e hora marcados todos  compareceram.  As mãos ficaram encarregadas do registro da ata; aos olhos coube a função de fiscalizar e evitar possíveis fraudes e a boca ficou responsável pela coordenação e mediação das partes. Ocupando um dos lados de uma grande mesa, todos, inclusive o cérebro e o coração, acomodaram-se de frente para a galera, que era composta por órgãos, membros e partes, como numa espécie de auditório.

Após pedir silêncio a boca fez a abertura da reunião, detalhou a importância do evento e deixou claro que tudo ali seria regido pelo mais alto princípio democrático. Cada pretendente ao cargo exporia suas qualidades e importância no funcionamento do corpo humano e também os motivos pelos quais se achavam aptos a assumir oficialmente a chefia. Em seguida seria dado aos presentes, que assim desejassem,  o direito de manifestação, fosse para perguntas, sugestões ou críticas e, finalizando, a votação.

Dito isto, passou a palavra ao cérebro:

– Olá pessoal. Vocês sabem de tudo que vem acontecendo e sabem também que tudo começou lá fora, quando a ciência me classificou como o mais importante dos órgãos. Para o coração, que até então era o “xodó” dos humanos, foi um duro golpe mas para mim foi apenas o reconhecimento do que há muito tempo já era óbvio.

Desde sempre eu venho desempenhando funções vitais no corpo humano. Eu controlo o processo de pensamento, movimentos voluntários e involuntários, audição, olfato, sensos visuais e táteis, temperatura do corpo, pressão sanguínea, respiração e também produzo hormônios para controlar funções de vários órgãos.  Enfim, tudo está ligado a mim. Sou eu que coordeno tudo e a todos. Eu não sinto dor, mas sinto a dor em vocês e é por isso que o socorro, quando necessário, é imediato, seja junto a outro órgão ou de origem externa. Tudo passa por mim, sou eu que decido como e o que fazer. Vocês funcionam porque eu funciono. Se eu falhar, vocês falham. Se eu parar, vocês MORREM.

Pergunto: Tem alguém tão eficiente quanto eu?. A resposta está com vocês.

Obrigado, senhores e senhoras.

– Muito bem. Agora com a palavra o coração.

– Pois bem senhores, serei curto e grosso. Algum dos presentes, incluindo o “Senhor Cérebro”, funciona sem sangue?. Não. Pois eu sou o responsável pela corrente sanguínea. Se eu parar o fluxo sanguíneo cessa e, sem o precioso líquido, vocês  param e conseqüentemente morrem. E sabem o que o cérebro poderá fazer por vocês? NADA, porque 6 minutos após a minha parada ele também estará MORTO.  Perceberam a minha importância no sistema?  É por isso que eu mereço ser o chefe. Mas a decisão final é de vocês.

– Bem pessoal, – prosseguiu a boca – vamos em frente. Vocês ouviram os candidatos, alguém tem algo a dizer antes da votação?

Um dos pulmões levantou-se:

– Eu tenho.

– Então diga.

– Se o cérebro pode fazer tudo que disse aí então o departamento dele deve estar com sérios problemas porque tem muita gente mandando pra nós tanta fumaça de cigarro e outras drogas, que a gente já ta mais preto que carvão. Se ele controla tudo porque então permite isso?

O estômago saiu em apoio ao pulmão e acrescentou:

– E o álcool? Ta cada vez maior a quantidade que mandam pra mim. Eu tento me livrar mas nem sempre consigo. Então passo a bola pra frente e os rins e o fígado que se virem, mas o estrago aqui já foi feito.

Um dos rins se levantou e completou;

– É, eu sei o sufoco que passo pra me livrar do etanol, mas o estrago aqui também é feio.

O fígado, outra grande vítima, apenas complementou:

– E vocês sabem porque o cérebro não toma nenhuma providência? É  porque quando o álcool chega lá, através do sangue, ele estimula prazer, humor e euforia e todo o seu departamento fica “bebinho”. Ele acha que todo mundo está feliz e satisfeito e pede mais e o cara continua bebendo e nós se ferrando.

– Alguém mais?  OK, então vamos  para a votação. Na cédula que foi entregue a vocês está o nome dos dois candidatos. Assinalem com um X o nome do seu preferido e em seguida coloquem aqui na mesa. O voto, para quem preferir, pode ser aberto.

Podem votar.

Encerrada a votação, iniciou-se a contagem dos votos. Tudo sob o olhar atento dos olhos e na presença dos dois candidatos.

Concluída a apuração, uma surpresa: Empate!

– Galera, é o seguinte: Não temos um vencedor, a votação apontou um empate. Porém, isso não poderia ter acontecido porque o número de votantes presentes é ímpar, então é óbvio que alguém deixou de votar. Por favor, quem não votou levante-se e justifique porque deixou de cumprir com seu dever cívico.

Silêncio geral. Expectativa total. Todos olhavam para todos.

Então o ânus (popularmente conhecido como cu) se levantou:

– Eu não votei.

Sarcasticamente a boca comentou:

– Tinha que ter uma cagada. E só podia ser você. Mas então, você pode nos dizer porquê?

– Não só posso como vou. A principio, quando vim pra reunião, eu até pretendia votar porque achava que qualquer dos dois que fosse eleito teria a solução para os problemas, mas depois de ouvir tantas babaquices, mudei de idéia. Nenhum dos dois está a fim de resolver porra nenhuma, eles apenas querem um cargo porque se acham superiores a todos nós. Tanto é que só falaram em parar e todos morrerem. Como se, caso isso acontecesse,  eles não morreriam também.

Depois vieram esses outros e transformaram a reunião num muro de lamentações.

Pois saibam senhores que se há alguém aqui que tem todos os motivos do mundo para se lamentar e falar em parar, esse alguém sou eu.

Eu sempre fui humilhado; ignorado; desprezado; discriminado e ainda por cima alvo de todo tipo de chacotas.

Querem um exemplo? Você aí olhos, já haviam me visto antes dessa reunião?

– Não. Nunca. Mas… sinceridade? Você é mais feio que aborto de monstro.

– Pois é.  E você que está lendo este post, sabe porque os olhos nunca me viram antes dessa reunião?  Porque você, assim como 10 em cada 10 pessoas,  nunca olharam para o próprio cu.

E sabe porque os olhos me acharam feio? Porque inventaram tratamento de beleza para o corpo todo (mãos, pés, nariz, olhos e até pra bunda) mas alguém conhece ou já ouviu falar em algum produto para embelezar o cu?

É isso aí amigos. Eu sou ignorado tão logo chego ao mundo. As pessoas olham para um bebê e fazem todo tipo de elogios “que olhos lindos, que boquinha maravilhosa, que bochechas fofinhas” e por aí afora. Até o pipizinho é notado “nossa! que grande!, esse é macho”. Eu nem sequer sou lembrado que existo. É como se o bebê não tivesse cu.

E não pensem que é porque eu fico meio escondido não. O pênis e a vagina também não ficam à mostra mas são sempre visitados. Recebem carinhos e são estimulados sexualmente pelas mãos. A boca até conversa com eles, faz elogios.

Vocês conseguem imaginar em que circunstâncias eu recebo um elogio? Não? Pois então ouçam:  Quando eu recebo tratamento um pouco diferenciado, já fico preocupado, desconfiado, e logo penso “acho que vou ser dado pra alguém”.

E não dá outra: sou levado pro sacrifício. E é nesse momento, exatamente nesse momento, quando estou sendo covardemente fudido, que sou elogiado “nossa!!… que cuzinho delicioso”.  Isso é perversidade.

E você que está lendo é testemunha que eu estou dizendo a verdade.

A bunda, sentindo que o cu estava precisando de um apoio moral, pediu licença para fazer uma correção:

– Olha “seu” cu, eu concordo com tudo que você está dizendo. Mas quanto a mim, eu sempre estive ao seu lado, literalmente, e porque não dizer, até que de certa forma eu protejo você.

– Ah bundinha… Minha fiel companheira. Você é adorável. Sempre com esse eterno e simpático sorriso vertical estampado entre as nádegas. Eu agradeço muito o seu apoio. Mas sabe o que é, você na realidade não me protege. Você me esconde. E além do mais você representa um perigo terrível para mim. Você é admirada e cobiçada por onde passa. Quando os machos olham pra você, eles suspiram de tesão e dizem:  “um dia ainda vou comer essa bundinha”. Mas  quando te conquistam, sabe quem eles acabam comendo? Eu.

Tem até um ditado rolando por aí que diz:  “Quanto mais bonita é a bunda, mais fumo o cu leva”. Isso é lamentável, mas é real.

As mãos, aproveitando a “deixa” também pediu licença para uma observação:

– Hei cu, nós também sempre colaboramos com você. Nós cuidamos da sua higiene e quando você pede aquela coçadinha, o nosso dedo “coça-cu” te atende na hora.

–  Olá dona mão. Foi bom que você se intrometeu. Faz tempo que eu estou com umas coisas engasgadas aqui no rabo e esta é a minha chance de colocá-las pra fora. Vocês aí de cima formaram um grupo de mafiosos e vivem ferrando e menosprezando nós aqui em baixo. Cuidar da higiene e coçar todas as partes do corpo são obrigações sua. Você coça o saco a qualquer hora e em qualquer lugar, mas quando a coceira é em mim olha o que acontece:  Primeiro você chama os olhos  “Ô mano, vê aí se ninguém ta olhando, é que o cu ta pedindo uma coçadinha”. Os olhos dão uma “pescoçada” e dizem: “ninguém ta vendo, mas vai logo que de repente alguém pode olhar”. A coçadinha é rápida. Em seguida você disfarça, dá o dedo pro nariz cheirar e resmunga;  “Putz… ta fedendo. Cu é foda, por mais que seja lavado se você coçar e cheirar o cheiro de cu continua lá”.

Porra!!! E você queria que eu estivesse cheiroso? Por acaso é perfume que vocês mandam pra mim?.

Vocês não têm idéia de como é dura a minha vida. Ser alvo de todo tipo de chacotas, insinuações maldosas, ofensas e outras maldades.

Por exemplo: Você aí que continua lendo, quando você quer ofender outra pessoa você manda  ela tomar aonde?  No cu.

Se um cara é medroso você  diz que ele é o quê? “Um cuzão”.

Se um cara é burro você xinga ele de quê? “Cu de burro”.

Se o cara escolhe uma segunda opção sexual, quem é que leva ferro? O cu.

Se um cara não “segura uma bronca” e ainda joga a culpa em você, o que você diz? “filho da puta tirou o dele da reta (o cu, é claro) e ainda botou no meu rabo”.

Quando alguém critica um alcoólatra, diz o quê?  “Ele ta sempre com o cu cheio de cachaça”. (Como se alguém tomasse cachaça pelo cu…)

Se você dá conselho a um amigo que bebe muito, diz  o quê?  “Manera aí cara, cu de bêbado não tem dono”.  Puta que pariu, o cara toma todas e eu fico órfão!!??.

Vejam a diferença de tratamento: Enquanto o dedo é lavado depois que me coça, eu sou apenas limpado assim que me livro da merda que vocês produzem. E às vezes mal limpado.

Enquanto vocês são tratados com respeito eu sou tratado com despeito.

Quando me livro do ar podre que vocês produzem, lá vem ameaça: “alguém peidou, se eu descobrir quem foi eu meto uma rolha no cu desse porco”.

Gente, não sou eu que fabrico bosta e gases fedorento, apenas faço o serviço sujo me livrando deles e em troca ainda recebo ameaças e sou responsabilizado por todas as cagadas.

Tem hora que eu penso: Não dá mais, assim não há cu que agüenta.

Agora quanto a você senhor cérebro, que se acha o todo poderoso, saiba que a sua bola pode ta cheia para os cientistas lá fora mas aqui dentro a história é diferente. Todos aqui já se ligaram na suas espertezas. Você controla toda a informação que entra e sai. E você manipula essas informações. Muita coisa que acontece lá fora você não passa pra nós e muitas que acontecem aqui dentro você não passa pra fora.

Por exemplo: Eu já perdi a conta do número de vezes que você me dá um aviso assim:  “hei cu, pode liberar aí embaixo que é só um peidinho que ta chegando”. Eu solto e é só merda que voa pra todo lado.

Puta que o pariu!!! Será que você é tão estúpido que não sabe diferenciar peido de merda? Ou será que faz essas pegadinhas idiotas só pra tirar uma com a  minha cara e rachar o bico aí em cima enquanto todo mundo me xinga aqui em baixo?. Seja o que for, pra mim isso é irresponsabilidade. É sacanagem. E isso você não conta pra ninguém. Eu levo a culpa pelo rebosteio.

E quanto a você coração, continue sendo o símbolo da pureza, da compaixão, do amor e do “sempre cabe mais um”. O corpo humano não precisa de um chefe. Ele precisa de todos nós.

Resumindo: agora os dois “poderosos” dependem do meu voto para desempatar essa porcaria de eleição. Eu, o fedorento, o cagão, vou decidir quem será o “chefão”. Que ironia do destino…

Quer saber, eu só não mando vocês dois tomarem naquele lugar porque “aquele lugar” sou eu.

E pra finalizar, um alerta pra você que ainda não desistiu e continua lendo.

Se você é um dos muitos que me usam também como  “entrada”, metendo ou deixando meter em mim tudo que é tranqueira, fique esperto e bote nesse seu maldito cérebro que eu sou apenas “SAÍDA”. Tudo que o organismo transforma em dejetos e gases vão para o intestino e eu sou a Única Saída. Portanto é bom você mudar o seu conceito a meu respeito, cuidar melhor de mim, entender que eu sou tão importante quanto o mais importante dos órgãos. E nunca esquecer que você só tem um cu.

Dos meus colegas aqui eu não espero mais nada, eu já andava meio que puto da vida com eles e agora, depois dessa patética reunião, estou puto e meio.

Por isso você é a minha última esperança, em você eu ainda boto fé. Mas se você pisar na bola e as coisas continuar piorando eu juro que lacro esse cu, fecho tudo e garanto que por aqui não passa mais bosta nenhuma.

E aí sabe o que vai acontecer? Esses metidos a importantes aqui morrerão afogados na merda que eles produzem, e você… bem, você não vai ter cu pra contar essa história pra ninguém.

Falei e ta falado. E palavra de cu não volta atrás.

Eis o meu cartão de Visitas, fique com um e cuide bem da logomarca    bosta


Responses

  1. Hahahaha! Ri muitooo! Aguardo a próxima!


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Categories

%d bloggers like this: